A situação financeira do Náutico é complicada e o clube pode perder um dos principais bens que possui: a sede social no bairro dos Aflitos.

O patrimônio foi alienado para leilão a ser realizado na próxima segunda-feira por conta de uma dívida de cerca de 60 mil reais com Edilson Lourenço da Silva, que foi porteiro do clube por 12 anos, entre 2004 e 2016.

O Náutico se pronunciou através do vice-presidente jurídico Bruno Becker, que afirmou que o risco de perder a sede social é pequeno, já que o valor da dívida é muito inferior ao do terreno. 

“A dívida é um valor pequeno e não faz sentido leiloar uma sede avaliada em R$ 215 milhões. Processualmente, tem situações que podemos suspender o leilão e, ainda assim, caso não consiga suspender, a possibilidade de acordo é muito maior”, explicou em entrevista à Rádio CBN.

“O valor de R$ 60 mil se torna pequeno nesse universo de valores e dá para trabalhar mais concretamente no sentido de realizar um acordo”, finalizou.

Fonte : Futebol Interior