A CBF rebateu, no início da noite desta segunda-feira, a declaração do governador de São Paulo, João Doria, de que não houve uma "consulta prévia" da entidade sobre a marcação dos jogos do Campeonato Brasileiro. 

Na nota, a confederação afirmou que os clubes paulistas que vão disputar o Brasileirão reafirmaram, também nesta segunda, estar dispostos para jogarem fora de seus domínios, transferindo o seu mando de campo para outras cidades.

De acordo com a CBF, essa decisão foi tomada em votação que contou com o apoio de 19 dos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, incluindo todos os cinco times de São Paulo.

A CBF informou que, em reunião no dia 25 de junho, com a presença dos 40 clubes das Séries A e B, foram determinadas as datas de 9 de agosto para o início da Série A e 8 de agosto para início da Série B do Brasileiro.

"Para preservar estas datas, os clubes concordaram em jogar fora de seus domínios, transferindo o seu mando de campo para outra cidade ou estado caso o seu local de jogo não esteja liberado nas datas de início das competições. Essa decisão foi tomada em votação que contou com o apoio de 19 clubes da Série A, incluindo todos os de São Paulo", registrou a CBF, na nota divulgada nesta segunda.

Com esta decisão, o Campeonato Paulista e mesmo outros Estaduais que ainda não foram retomados teriam menos datas e menor tempo para serem finalizados. No caso do Paulistão, a data do retorno ainda nem foi definida.

Em entrevista coletiva, nesta segunda-feira, Doria prometeu que o comitê de saúde anunciará sua decisão sobre o retorno do Estadual até o final da próxima semana. O Campeonato Paulista foi paralisado em março na décima rodada, duas antes do final da fase de classificação para as quartas de final.

Fonte: Estadão Conteúdo